Roteiro de 2 dias em Florença – Itália

posted in: Europa, Florença, Italia, Roteiros | 0

Florença é a capital da Toscana e uma das cidades mais importantes para os amantes das artes.

Foi o Berço do Renascimento e alberga alguns dos melhores museus do mundo. Mas é muito mais do que museus é uma galeria ao céu aberto.

Dia 1

Chegamos de comboio (trem) à Florença, vindos de Veneza. A estação ferroviária de Florença fica localizada no centro, pelo que fomos confortavelmente andando até ao Hotel Nella.

Dica: Florença é uma cidade pequena, não é necessário utilizar os transportes públicos para se movimentar.

Duomo Florença
Duomo de Florença

Duomo de Florença

Mal chegamos fomos directos ao Duomo, começamos a apreciar o conjunto monumental por fora.

Depois fomos comprar os bilhetes, apesar de irmos só visitar por dentro à tarde. E foi o melhor que fizemos, pois para visitar a Cúpula é com hora marcada, e só estava disponível para o dia seguinte as 18h30.

Dica: comprar o bilhete para o Duomo logo que cheguem a Florença.

O bilhete custa 18€ e dá para utilizar durante 72h, e com ele é possível visitar a Catedral, o baptistério, a cúpula, a cripta, a torre e o museu.

Baptistério
Florença
Tectos

A primeira paragem foi no baptistério, que no Norte de Itália é fora da catedral. A entrada é feita pela porta norte e saída pela porta Sul.

No tecto pode ver os mosaicos que retratam o juízo final, também chamados de Dante.

Não deixe de ver na parte exterior as famosas portas orientais, ornamentadas a bronze e feitas pelo Lorenzo Ghiberti. Actualmente as existentes no baptisterio são as replicas, as originais encontram-se no Museu.

Duomo
Florença
Dante a explicar “A Divina Comédia”

De seguida entramos no Duomo. Depois de ver a beleza exterior do monumento, o interior desilude. Destaco o quadro de Dante a explicar “A Divina Comédia”, o sacrário de mármore e o chão de mármore.

Na parte inferior encontra-se a cripta, onde se podem ver as ruínas da antiga catedral de Santa Reparata. Onde se encontram os restos de antigas construções romanas e parte do mosaico referente às várias reconstruções.

Florença
Cripta

 

Campanário

De seguida fomos para a fila para subir à Torre, que tem 85 m. A subida a torre, apesar de difícil é fazível, até porque tem varias zonas onde pode parar para descansar e aproveitar a vista. Para além de ser um belo treino para subir a cúpula.

Do Campanário obtém-se belas vistas do Duomo e da própria cidade, para além de poder ver de perto os sinos da igreja.

Na entrada do Campanário dizia que o acesso à Cúpula já estava esgotado até quarta-feira.

Duomo Florença

Duomo Florença

Mais sobre o Duomo de Florença aqui.

Nota: Atenção à roupa para entrarem nas igrejas, nada de ombros descobertos ou saias demasiado curtas. Eu levava uma camisola que não tapava os ombros mas tinha uma outra para vestir por cima, e vieram-me dizer que não podia entrar assim, até para subir ao campanário e à Cupula, mas mal mostrava a 2ª camisola, estava tudo bem.

 

Palazzo Medici Riccardi

Próximo ao Duomo encontra-se o Palazzo Medici Riccardi, na Via Camillo Cavour. Trata-se de palácio renascentista, que foi propriedade da Família Médici, e posteriormente adquirido pela família Riccardi.

A fachada do Palácio parece um castelo, o jardim é pequeno mas bonito e no Pátio interior é possível ver uma pequena exposição temporária.

Os jardins e pátio interior são gratuitos, e Palazzo tem um custo de 7€.

Palazzo Medici Riccardi
Palazzo Medici Riccardi

Basílica de São Lourenço

Remonta ao início do Renascimento, foi desenhada pelo Filippo Brunelleschi, e era a igreja da familia Médici.

Destaca-se a enorme cúpula, a cappella dei principi, a cripta, a sacristia nova, a Campanile, a biblioteca (o tecto e as secretarias foram desenhadas por Michelangelo), a sacristia velha (decorada por Donatello), e os jardins com sebes, romãzeiras e laranjeiras.

A fachada da Basílica encontra-se incompleta apesar dos diversos planos de Michelangelo.

O Jardim no pátio é gratuito, o complexo da Basílica tem um custo de 7€.

Basílica de São Lourenço
Basílica de São Lourenço
Piazza San Lourenzo, 9

Mercado de São Lourenço/ Mercato Centrale

O Mercado inclui a zona exterior onde são vendidos diversos artigos de pele (fabricados na zona de Florença). E a zona interior onde são vendidos fruta e legumes, para além de comida pronta.

A zona interior é um edifício de ferro e vidro com 2 andares, de 1879 por Giuseppe Mengoni.

 

Mercado central
Mercado central
Piazza del Mercato Centrale

Dia 2

Galleria dell’ Accademia

Começamos o dia na Galleria dell’ Accademia, devido aos elevados preços online, optamos por comprar no local.

Quando íamos havia uma exposição temporária, e os bilhetes online incluíam-na obrigatoriamente e ficam por cerca de 25€ cada, no local o preço ficou por 8€.

No entanto, agora é possível comprar neste site, o preço é 12€ que são 8€ mais os 4€ de pré-reserva, o que vale muito a pena adquirir.

A fila estava bem grande e demoramos cerca de 1h a entrar, mas valeu a pena pela poupança.

O Museu é pequeno e a peça central é sem dúvida o “David” de Michelangelo. A escultura é impressionante, realmente majestosa, tem 5,2 metros, foi encomendada para a Piazza della Signoria. Por segurança foi retirada do local e substituída por uma replica.

Esta também no Museu a obra “Quattro prigionieri” de Michelangelo, e outras esculturas e pinturas de artistas florentinos.

David de Michelangelo
David de Michelangelo

Mais informações aqui.

Passeio pelas ruas de Florença

Após sairmos da Galleria dell’ Accademia passamos pela Piazza della Santissima Annunziata, onde se encontra a basilica della Santissima Annunziata, e no centro a estatua equestre de “Ferdinando I” de’ Medici.

Piazza della Santissima Annunziata
Piazza della Santissima Annunziata

 

Passamos novamente pelo Duomo até a Piazza della Repubblica, onde se encontra um bonito carrossel ao estilo francês.

A fica fica no local onde se encontrava um antigo forúm romano, e onde posteriormente existiu o mercado antigo.

Seguimos pela Via Calimala/Via Roma, onde se encontram as melhores lojas da cidade.

Piazza della Repubblica
Piazza della Repubblica

Piazza della Signoria e Palazzo Vecchio

É na Piazza della Signoria que se encontra o Palazzo Vecchio.

É o coração politico e social da cidade, as estátuas da praça assinalam os maiores feitos da história da cidade. Destaca-se “David” de Michelangelo (cópia, o original encontra-se na Galleria dell’ Accademia), a fontana di Nettuno (Deus romano e as ninfas), e o “Morzocco” (leão de Florença de Donatello, cópia, o original encontra-se na Bargello).

Na Loggia dei Lanzi encontram-se outras estátuas, destacando-se “o Rapto das mulheres sabinas”, de Giambologna e “Perseu” de Cellini.

Piazza della Signoria e Palazzo Vecchio
Piazza della Signoria e Palazzo Vecchio

 

O Palazzo Vecchio foi o Paços do concelho, concluído em 1322.

Na fachada do Palazzo Vecchio pode-se ver o friso herádico, as chaves cruzadas representam a governação papal dos Médici, e na porta principal encontra-se o friso com a inscrição “cristo é rei”.

Do interior destaca-se a Sala dei Gigli, cappella di Eleonora e o Salone dei cinquecento, onde se encontra a estatua vitória de Michelangelo e frescos de Vasari.

 

Mais informações aqui.
Preço: É diferente conforme o que pretende visitar, entre 10€-18€.
Museu, sitio arqueológico, Torre e Defesas: 18€
Museu,Torre e Defesas:14€
Museu, sitio arqueológico: 14€
Museu:10€
Torre e Defesas:10€

 

Ponte Vecchio

Próximo ao Palazzo Vecchio encontra-se a Ponte Vecchio. A ponte foi construída em 1345, projectada por um discípulo de Giotto.

As lojas ao inicio eram utilizadas por ferreiros, talhantes e curtidores, que foram subsistidos por ourives e joalheiros.

Há um corridoio Vasariano na fachada oriental que permitia a família Mèdici passar a ponte sem se cruzar com o público.

Ponte Vecchio
Ponte Vecchio

 

Palazzo Pitti e Jardins Boboli

Na outra margem encontra-se o Palazzo Pitti, que foi construído pelo banqueiro Luca Pitti em 1457.

A ideia de Pitti era de suplantar a família Médici. Posteriormente os herdeiros de Pitty foram a falência e tiveram de vender o palácio aos Médici.

Destacam-se a Galleria Palatina, com o complexo museológico dos Pitti com obras de Botticelli, Ticiano, Perugino. Os “appartamenti Reali” que foram construídos no sec XVII, e encontram-se decorados com afrescos de artistas florentinos.

Há também o “Museo degli Argentii”, que eram os aposentos de Verão dos Médici, a “Galleria del Costume” com a moda do sec. XVIII e a Galeria d’arte Moderna.

Os Jardins Boboli foram adicionados quando os Médici compraram o Palácio em 1549. Trata-de de um jardim renascentista, com sedes, padrões geometricos simétricos, e azevinhos e ciprestes.

Palazzo Pitti
Palazzo Pitti
Piazza Pitti
O Palazzo Pitti faz parte do grupo da Galeria Uffizi, pelo que há um bilhete conjunto que custa: Entre 01/03 to 31/10: 38€; Entre 01/11 to 28/02: 18€.
O Palazzo Pitti custa: Entre 01/03 to 31/10: 16€; Entre 01/11 to 28/02: 10€.
Os Jardins Boboli custam: Entre 01/03 to 31/10: 10€; Entre 01/11 to 28/02: 6€
Horários: 08.15h – 6.50h
Para reserva antecipada utilize este site, no entanto as filas costumam ser pequenas, e o preço costuma ser mais baixo no local, pois não fazem diferença com as datas.
Mais informações aqui.

 

Piazzale Michelangelo

É na Piazzale Michelangelo onde se obtém as melhores vistas da cidade e o melhor pôr do sol, segundo o que dizem porque nós já tínhamos planos para o pôr do sol, que era subir à Cúpula do Duomo de Florença.

No entanto, vale a pena ir a qualquer altura do dia, as vistas são mesmo maravilhosas.

A Piazzale Michelangelo fica foram das Muralhas da cidade, e é necessário subir pelas ruas para lá chegar, por isso se tiverem dificuldades de locomoção é melhor irem de autocarro, 12 ou 13. Subimos através da Porta San e descemos pela Porta San Niccoló.

As Muralhas de Florença
As Muralhas de Florença

 

Antes de lá chegar passam por um jardim de rosas que é gratuito, vale a pena parar por lá, para admirar as rosas e as vistas. No entanto na Piazzale Michelangelo as vistas ainda são melhores.

Na praça criada em 1860 por Giuseppe Poggi é possível ver uma réplica de uma estátua de Michelangelo. Nesta praça estão vários cafés e restaurantes.

Vistas da Piazzale Michelangelo
Vistas da Piazzale Michelangelo

 

A entrada é gratuita, e fica na margem sul do rio Arno.

Galeria Uffizi

Trata-se de uma galeria construída em 1560 para os gabinetes do Duque Cosimo I.

A estrutura é de ferro e vidro, e foi usada por Francisco I para expor os tesouros dos Médici, algumas das obras foram posteriormente transferidas para o Bargello, ficando neste museu principalmente as pinturas.

Uma vez que não tínhamos bilhete tivemos de ir mais uma vez para a fila. Estamos com algum receio que demorássemos muito tempo na fila e não conseguíssemos subir à cúpula.

Mas a fila até foi bastante rápida, cerca de 20-30 min, e tivemos o tempo todo a falar com uma simpática Coreana, que andava a viajar pelo mundo durante um ano.

A visita é feita primeiro toda no 2º andar e depois passamos para 1º andar, a exposição esta organizada por ordem cronológica.

Galeria Uffizi
Galeria Uffizi

 

A exposição inclui arte gótica, como a adoração dos Reis magos, arte do inicio do renascimento, como “O Nascimento de Vénus” de Botticelli. E também Alto renascimento e Maneirismo, com peças como “Nossa Senhora do Pintasssilgo” de Rafael a “Vénus de Urbino” e a arte Europeia e pintura italiana tardia como Rubens, Van Dynck, Rembradt ou Caravaggio.

As obras mais marcantes que estão na galeria são O Nascimento de Vénus” de Botticelli, “Baco” de Caravaggio, “Vénus de Urbino”, ” O duque e a duquesa de Urbino”, “A familia sagrada” de Michelangelo.

Galeria Uffizi
Galeria Uffizi
Piazzale degli Uffizi, ao pé do Ponte Vecchio.
O Palazzo Pitti faz parte do grupo da Galeria Uffizi, pelo que há um bilhete conjunto que custa: Entre 01/03 to 31/10: 38€; Entre 01/11 to 28/02: 18€.
Para reserva antecipada utilize este site, e o preço costuma ser mais baixo no local, pois não fazem diferença com as datas, nós fomos em Setembro e a entrada custou 12.5€.
Mais informações aqui.

Cúpula do Duomo

Conseguimos sair da Galeria Uffizi à tempo do horário da nossa subida Cúpula do Duomo, onde como já esperamos vimos o pôr do sol. A cúpula foi desenhada por Brunelleschi em 1418.

A subida é bem mais dura do que a do campanário, não existem muitos locais para descansar, as escadas são mais apertadas. A cúpula tem 45.5 metros, sendo ligeiramente mais alta do que o Campanário.

Vista Cúpula do Duomo
Vista Cúpula do Duomo

 

No dia seguinte depois de chegarmos de Siena ainda passamos pela Igreja Santa Maria Novella.

Igreja Santa Maria Novella

Igreja dos Dominicanos de 1279, que teve a sua fachada românica alterada em 1456.

Destaca-se a Nave, o fresco Trindade de Masaccio, a Capella strozzi com frescos inspirados na divina comédia de Dante, a Cappella Tornabuoni, com frescos de Ghilandaio, sobre a vida de joão batista. E também o claustro verde, a Cappellone degli Spaguoli, as construções monasticas, o tumulo strozzi e a cappella di Filippo Strozzi.

Igreja santa maria novella
Igreja santa maria novella

 

Piazza di Santa Maria Novella
Mais informações aqui.
Aberta entre as 9-19h – Entrada: 7.5€

 

Veja também:

Como andar de comboio (trem) em Itália

Onde dormir em Veneza

Please follow and like us:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *