Residencial Monumental no Funchal, Madeira

Fomos finalmente conhecer a Ilha da Madeira.

Pelo que o lemos, resolvemos ficar a dormir no Funchal, na zona do Lido.

A zona é óptima e recomendo, ficaria no Lido novamente, numa outra viagem a Madeira.

Desta vez e como iríamos passar uns dias na Madeira e uma semana no Algarve, decidimos que queríamos fazer uma viagem bem em conta.

Encontramos na Logitravel uma boa combinação de voo+hotel (residencial).

Os voos tinham os horários certos e a Residencial cumpria os requisitos: Wifi grátis, estacionamento privado gratuito (pois íamos alugar carro), com pequeno-almoço incluído (café da manhã), apesar de saber que seria bem simples.

Reservamos e fomos de viagem.

A Residencial

Primeira impressão

Quando chegamos a residencial demos duas voltas de carro a volta da residencial e nada de estacionamento, achei que talvez estivesse em algum lugar não muito perceptível ou fosse dividido com outro hotel/residencial na zona.

Junto a residencial não havia estacionamento disponível, decidimos que eu ia a residencial e ele iria continuar as voltas de carro.

Quando cheguei a entrada da Residencial Monumental, que tem um restaurante mesmo na entrada, fui a recepção e não havia ninguém, ainda esperei e nada.

Até que resolvi pedir ajuda a uma senhora do restaurante, ela perguntou o precisava e disse-lhe que era para fazer o check in. Ela própria me fez o check in, e perguntei-lhe sobre o estacionamento, ao que me disse que não havia, mas que era fácil encontrar nas redondezas, ao que lhe disse que já andávamos as voltas a algum tempo e não tínhamos visto nada.

Achei estranho não haver estacionamento, eu normalmente tenho cuidado nessas coisas essenciais, mas talvez me tivesse enganado.

Deixei as malas rapidamente no quarto e fomos passear, afinal ele continuava as voltas.

O quarto

Exif_JPEG_420

Tinha tirando fotos a cama e pouco quando cheguei, mas só vi realmente o quarto nessa primeira noite.

O quarto era antigo mas funcional, tinha uma pequena varanda com uma mesa e duas cadeiras.

Incluía um mini-bar vazio, uma pequena tv plana, um cofre que não funcionava, sem AC ou ventoinha.

As janelas e a porta eram bastante frágeis, o que não dá uma boa sensação de segurança.

A roupa de cama estava limpa, mas as fronhas estavam sujas, pelo que haviam 2 fronhas adicionais que tivemos de utilizar.

Mas o pior era mesmo a casa de banho (banheiro).

Primeiro tinha uma coisa aberrante, que nunca tinha visto em toda a minha vida, uma janela com vista para 2 paredes em forma de triângulo. Devo dizer que mantive a janela fechada o tempo todo da estadia.

Depois estava toda destruída, chão partido, tecto falso cheio de bolor, a canalização para taque completamente surreal, banheira estragada.

E depois estava suja, na sanita, no chão, nos azulejos, nem me quero lembrar.

Nem consegui tirar fotos, e tive vontade de ir embora logo na primeira noite.

Pequeno-Almoço

Era realmente bem simples como tínhamos lido. Literalmente uma carcaça (pão) e uma bola de pão de leite, doce de morango, manteiga, café, café com leite, ou leite com chocolate (escolher um deles), um jarrinho de sumo (demasiado aguado, não sabia a sumo, não sabia a nada) e uma banana da Madeira para cada um.

madeira pa

Como funcionava:

Escolhias a mesa, lá estava a manteiga, o doce e as bananas (quando não faltam nas mesas, e era necessário repor).

Depois a empregada ia perguntar o que queríamos beber, lá dizíamos e ela trazia as bebidas e distribuía os pães.

Uma coisa que não percebi, todos os dias era preciso pedir as colheres para mexer o café, nunca haviam na mesa e a empregada sempre se esquecia.

Recepção

Nunca vi ninguém na recepção, sempre vazia, nunca tinha estado num lugar assim.

O bom

Deixaram-nos fazer check in antecipado e check out tardio gratuitamente, perguntei por e-mail se tinham secador de cabelo, ao que me indicaram que não havia nos quartos mas que me cederiam um, e não é que estava no quarto quando lá chegamos, um secador de viagem novo, adorei.

Restaurante

Na entrada da residencial há um enorme restaurante, o Restaurante Chanceller, que ocupa de uma ponta para a outra da entrada, mas que tem sempre poucas pessoas.

Não percebo o porque de um restaurante tão grande, quando nem um lobby há para os hospedes da residencial.

Basicamente é um restaurante que tem uma residencial e não uma residencial que tem um restaurante. Eles precisam do Anthony Melchior, do Hotel Impossible, urgentemente.

Os hospedes são constantemente incitados em comer no restaurante, inclusive há um menu no quarto do restaurante, à serio! No entanto, os hospedes não tem desconto.

Nos acabamos por comer lá uma das noites, optamos pelo menu turista, por cerca de 12€ cada um mais bebidas, com sopa, prato principal, pão e sobremesa, e oferta de um copinho de vinho da Madeira como entrada.
DSC03116
Bem, depois da residencial, levamos o jantar todo na desportiva.

A sopa estava intragável, juro, nunca comi uma sopa tão má, eu pedi uma sopa de legumes, e ele pediu sopa de peixe, nunca tinha visto uma sopa de peixe daquela cor.

O prato principal até estava bom, não estava a espera, um bife de atum a moda da Madeira com milho frito e arroz e salada. Foi aqui que experimentei o milho frito e gostei.

E no fim, sobremesas, que não estavam nada de especial, muito pelo contrario.

Apreciação final: Preço demasiado alto, para o qualidade da comida.

O engraçado: A comida não é cozinhada lá, mas sim no outro restaurante do grupo (Restaurante Granny`s House) que fica do outro lado da rua, e a comida vinha em Tupperwares de um restaurante para o outro, pela rua, será que isto é admitido pela Asae?!

Se menu da Restaurante Granny`s House é exactamente igual ao do Restaurante Chanceller. Para quê é que existem 2 restaurante um ao lado do outro a servir o mesmo?! E os 2 caros e de má qualidade, a qualificação dos 2 restaurantes no tripadvisor é ruim!

Sugeria aos donos que ficassem só com o Restaurante Granny`s House, com a melhoria da sua qualidade. E que fechassem o Restaurante Chanceller, e se dedicassem a Residencial, fazendo obras nos quartos, criando um lobby, mantendo apenas uma sala de pequenos-almoços e um café/bar. Melhoravam o pequeno-almoço e com as obras podiam subir os preços dos quartos.

Bem é só uma sugestão, mas não acredito que se realize. Por isso evitem estes 2 restaurantes, mesmo que incitados pelos empregados dos mesmos a comerem lá.

Considerações finais da Residencial

  • Boa localização no Lido
  • Pequeno-almoço (café da manhã) simples
  • Sem estacionamento
  • Wifi grátis
  • Podem solicitar secador de cabelo
  • Check in antecipado e check out tardio sem custos, quando possível
  • Acho que tive azar com a limpeza, porque os comentários dos outros hospedes foram bons para a limpeza, mas eu não posso dizer o mesmo.
  • Casa de banho a precisar de obras urgentes
  • Incitados a comer no restaurante deles
  • Barato

Exif_JPEG_420

Se quiserem fazer uma viagem barata a Madeira sem luxos pode ser uma opção. No entanto, eu se soubesse o que sei hoje, nunca teria reservado nesta residencial, eu pessoalmente preferia ter pago um pouco mais, por algo melhor.

Para além, que tive de pagar o extra do estacionamento de cerca 1,50€ todos os dias, quando pensava que tinha estacionamento gratuito.

Quando regressei de viagem, resolvi consultar o site da Logitravel a ver se realmente me tinha enganado, mas não, lá estava “estacionamento privado gratuito”, mandei logo um e-mail a Logitravel a reclamar, para mais ninguém ser enganado com o suposto estacionamento gratuito. Agora já não fala no estacionamento.

One thought on “Residencial Monumental no Funchal, Madeira

Deixar uma resposta