Bilbao – Dia 2 – Museu Guggenheim

 

Museu Guggenheim

Mais um dia de chuva em Bilbao.

Dica: Se viajar a Bilbao leve chapéu de chuva (guarda-chuva) ou compre um lá, pois vai precisar, principalmente se for no Inverno ou no Outono.

Logo pela manhã fomos a pé desde hotel até Museu Guggenheim.

Plaza Moyua

Passamos novamente pela Plaza Moyua, onde paramos para algumas fotos.
Nesta plaza podemos ver as famosas entradas para o metro de Bilbao, projectada pelo arquitecto Norman Foster.

Entrada para o metro de Bilbao

Finalmente chegamos ao Museu Guggenheim, demos logo de caras com o Puppy, de Jeff Koons.
Puppy é uma escultura de um cachorrinho, todo feito com flores naturais, regadas por um sistema interno.

Puppy

O Puppy fica localizado junto à porta principal do museu.

Na entrada do Museu, tal como em quase todos os locais onde entramos em Bilbao (hotel, centro comercial, museus) existem uns sistemas onde coloca o seu chapéu de chuva e ele fica protegido dentro de um saco de plastico, para não molhar o espaço, nem as pessoas.
Não conhecia mas gostei muito do sistema, é muito fácil e muito prático, ideal para uma cidade chuvosa como Bilbao.

Sistema de protecção

Quando chegamos na bilheteira descobrimos que não havia exposição temporária na altura e por isso não vendiam o Bono Artean. Em compensação tinham um bilhete com um preço mais acessível, custou 8€ (incluía audioguia).

O Bono Artean é o bilhete conjunto para Museu Guggenheim e para o Museu de Belas Artes de Bilbao e tem um custo de 14€.
Dica: Para quem quer visitar os 2 museus fica mais económico o Bono Artean, pois só o Museu Guggenheim custa 13 e o Museu de Belas Artes de Bilbao custa 7€.

No Museu Guggenheim infelizmente não há audio-guia, nem folheto informativo em português
São permitidas fotos no interior do museu, excluído uma sala com pinturas (onde existe muito controlo).

Mal se entra vê-se logo o Átrio, que tem 60 metros de altura, e que serve como ponto de orientação no museu.

Numa das salas encontra-se a instalação de Jenny Holzer, chamada “Instalação de Bilbao”.

“Instalação de Bilbao”

De seguida fomos ver a escultura “Tulipas” de Jeff Koons, que se encontra num espaço exterior, mas apenas acessível pelo interior do Museu.

“Tulipas” de Jeff Koons

Seguimos para a exposição de pintura, onde as fotos são totalmente proibidas.

Ainda conseguimos ver a “Escultura de niebla n.º 08025 (F.O.G.)” de Fujiko Nakaya.
Que é uma escultura feita a partir de vapor de água, que ocorre na parte exterior do Museu em determinadas horas.

Escultura FOG

Fomos de seguida ver a exposição “The matter of time” e “A cobra” de Richard Serra.
Ambas feitas de ferro fundido e estão localizadas na “Galeria dos Peixes”, que é o maior espaço de exposições do Museu.

As esculturas de Richard Serra

De seguida subimos ao 1º piso para ver a escultura de outra perspectiva e tirar a foto “clássica”.

Assim terminanos a visita ao museu.

Dica: Se quiserem voltar ao museu mais tarde mas no mesmo dia, podem solicitar na saída uma pulseira. Se quiserem acompanhar o exterior do museu com um audio-guia essa opção está incluída no preço, basta solicitar na recepção.

Deixar uma resposta